Senhor,

Hoje aprendi a lição do milho. Há milho de tanta espécie, mas tudo é milho.  O milho produz conforme é tratado:

Se lhe retiro amido, dá maizena; se frito, dá pipoca, se môo, dá farinha ou fubá; se cozinho ou asso, é bom para comer; se não serve para mais nada, é bom para os cavalos e galinhas. Mas, o milho só produz se é tratado como é devido; na hora certa.E a cada espécie só posso pedir o que pode dar: milho comum não dá pipoca; milho de pipoca não serve para fazer curau.

Se não cozinho o milho verde, enquanto está verde, fica duro; se frito milho verde não dá pipoca. Se colho o sabugo antes de crescer, ele não serve. Até que o milho fique como quero, como precisa, precisa cuidar dele, dar-lhe o que precisa.

Tu me mostraste, Senhor, que a lição do milho é boa para o educador.É boa para quem quer amar. Amar é ajudar a produzir, a ser, a realizar-se. Não pedir ao milho imaturo que seja um milho em bom tempo…Dar-lhe o que precisa para se desenvolver. Pedir-lhe que dê conforme a sua espécie.

Se está bichado, dar-lhe remédio para voltar a ser são, depois, só depois, pedir-lhe que produza.

Obrigado, Senhor. Abre-me para tua verdade a fim de que penetre um pouco no mistério do outro, apenas para conhecer a sua espécie, e seu grau de maturação, as suas necessidades, conforme precisa, na hora que precisa. E assim o ame verdadeiramente, ajudando-o a desabrochar.

Anúncios